• Captura de ecrã 2019-08-29, às 17.15.49.png
Notícias
  Quarta, 11 Setembro 2019

No próximo dia 22 de setembro, temos de garantir que o próximo governo tenha condições políticas para governar com estabilidade e confiança, sem ruturas nem instabilidade. Mais do que nunca, reforçou Albuquerque, a Região precisa de um governo coeso, que continue a lutar pela Madeira, que tenha um projeto sério e responsável, algo que só o PPD/PSD consegue assegurar.

Ao subir ao palco esta noite no Comício do PSD/M em São Vicente Miguel Albuquerque disse que é preciso que o povo esteja unido no essencial. “E o essencial é ganharmos as eleições no próximo dia 22 de setembro para continuarmos a defender a Autonomia e a Liberdade dos Madeirenses e dos Porto-santenses, mas sobretudo para garantirmos que o próximo governo tenha condições políticas para governar com estabilidade e confiança, sem ruturas nem instabilidade.”

Mais do que nunca, a Região precisa de um governo coeso, que continue a lutar pela Madeira, que tenha um projeto sério e responsável, algo que só o PPD/PSD consegue assegurar, alertou.

“Não é só o PPD/PSD que fica prejudicado se os socialistas e comunistas chegarem ao poder, somos todos e cada um de nós que fica afetado, nos seus direitos e garantias, se isso acontecer. É a Região que perde a sua estabilidade, a sua capacidade de lutar por si própria e sem o comando de Lisboa”, disse o presidente do Partido.

Ao longo de 43 anos, lembrou, a Madeira teve governos estáveis que conseguiram governar porque, com estabilidade e visão, planearam o desenvolvimento coletivo e projetaram medidas para assegurar o bem comum.

“Connosco as famílias estão tranquilas e os empresários e trabalhadores sabem com que podem contar”, afirmou, reforçando que “no próximo mandato vamos continuar a apoiar as empresas, diminuir o desemprego, a reforçar os apoios na área social, a reforçar o apoio domiciliário e alargar o número de lares.”

Albuquerque comprometeu-se, ainda, a continuar a apostar na saúde e a contratar mais médicos, enfermeiros e pessoal auxiliar para melhorar os serviços, e a manter a aposta na educação e no investimento público.

“O pacto que temos com o nosso povo é, e sempre foi sagrado”

“Dissemos que íamos reforçar o investimento, assegurar crescimento económico e reduzir o desemprego e cumprimos. Dissemos que íamos reforçar os investimentos na educação, na saúde e que íamos retomar o investimento nas infraestruturas públicas e cumprimos, como foi o caso da ligação à Boaventura”, lembrou Miguel Albuquerque, deixando claro que os Madeirenses e Porto-Santenses sabem que “quando dizemos uma coisa, cumprimos.”

“Toda a gente sabe que reduzimos os passes, que reduzimos as creches e que vamos reduzir, no próximo mandato, as mensalidades no ensino pré-escolar, assim como toda a gente sabe que vamos alargar os apoios aos idosos, não só na área da visão, mas também na saúde oral.”

O Presidente dos Social-democratas recordou que a Madeira foi a única região que fez o acordo com os enfermeiros, tal como foi a única a valorizar os professores.

“Eles lá prometeram e não cumprem. Nós aqui sem prometer cumprimos”, vincou, continuando: “Ao contrário de outros que hoje dizem uma coisa e amanhã outra, nós sabemos o que queremos e não falhamos. As pessoas sabem que, com o PPD/PSD não há equívocos nem manobras políticas, tal como sabem que é aqui que nos distinguimos dos socialistas e de António Costa, que andou a mentir, descaradamente, ao povo Madeirense, ao longo destes últimos quatro anos e agora ainda tem a lata de mentir mais uma vez nas promessas que faz e que sabe que não vai cumprir, rematou.